(41) 3053-5566 [email protected]

Quase metade dos brasileiros não tem coleta de esgoto, mesmo assim, a esquerda não quer aprovar o Marco Legal do Saneamento Básico (veja o vídeo).

 

É obrigatório para o bem-estar do povo de todos os seus membros, independentemente dos respectivos partidos políticos poderão estar a tentar resolver o problema do saneamento básico no Brasil. Enquanto muitos dos parlamentares, e gastar o tempo com coisas que são irrelevantes, e o real despautérios (como na CPMI da Comunidade de Notícias, 48% da população têm coleta de esgoto.

É como se 5.650 piscinas olímpicas de esgoto foram despejados todos os dias em estado selvagem! E isso não é tudo: até 35 milhões de brasileiros não têm acesso à água tratada. A falta de saneamento e água potável, o que cria um ambiente propício para o surgimento de doenças graves, como a dengue, diarréia, hepatite A, verminoses, leptospirose e outras.

Em uma entrevista exclusiva para a TV, o Jornal local, On-line, e o vice-geninho Zuliani (DEM-SP), e destacou a importância do Marco Legal para a água e Saneamento, para garantir a saúde e a dignidade, e a qualidade de vida para o povo do brasil.

“Há uma lei no Brasil que estava enraizada no passado. Os números do saneamento básico é uma vergonha, que nós temos mais de 100 milhões de pessoas que não têm acesso à rede de esgoto. Como resultado, temos 15 de crianças morrem por dia de doenças resultantes da falta de saneamento básico. Eles foram construídos para as empresas do estado, mas que se perde eficiência, nas últimas décadas. O Quadro Legal para a água e de Saneamento tem como objetivo trazer concorrência para a indústria, queremos facilitar a entrada de capital privado. As doenças decorrentes da água e saneamento, tanto do que seria necessário para cuidar da saúde das pessoas, sem saneamento, além das mortes, não são motivos suficientes para a gente votar sobre esse marco regulatório”, afirmou Zuliani.

Mas vocês, meus queridos leitores, para o Jornal local Online, você acredita que existem pessoas que estão se opondo à idéia de um novo Quadro Legal para a água e Saneamento? Durante a reunião, para a aprovação do projeto, o Alice Portugal (PCdoB-BA) e Bohn Gass (PT-RS), manifestou a opinião de que a proposta atende aos interesses do setor privado, e que o preço para o usuário irá aumentar com o desenvolvimento de um “mercado da água”. Eles querem que o povo continue em situação precária, à espera do camião, uma pipa, ou caminhar quilômetros para um poço de água! Como sempre, é na esquerda, o pensamento radical da “boa” e a “prosperidade” do povo.

Dica prática: os membros que argumentam contra o Enquadramento Legal dos serviços de Saneamento Básico seria capaz de consumir apenas a água que não é tratada como as pessoas atingem diretamente a cada dia, e quem sabe como guardá-los em seus respectivos cargos, alguns dos penicos de barro para usar por obrigação pessoal.

Call Now Button